Concursos militares que aceitam mulheres

O ingresso de mulheres nas forças armadas começou com Maria Quitéria, que lutou na independência do país. Ela alistou-se como soldado Medeiros, passando a integrar o batalhão de artilharia, depois transferida para a infantaria em 1822.

Durante a 2ª Guerra Mundial, 73 enfermeiras serviram como voluntárias em hospitais do exército norte-americano. Após a guerra, a maioria delas foi condecorada e recebeu a patente oficial.

O ingresso de mulheres na Marinha aconteceu em 1980, quando a legislação permitiu a admissão do sexo feminino na Força. No início, elas integravam um corpo auxiliar e sua participação era limitada a alguns cargos e serviços em terra. O ingresso de mulheres na Escola Naval, escola que forma os futuros oficiais da Marinha do Brasil, iniciou-se em 2014.

Em 2016, o Exército Brasileiro divulgou pela primeira vez edital com oportunidade de ingresso do sexo feminino na área bélica, na EsPCEx.

O preparo da mulher como sargento combatente foi iniciado na Organização Militar Corpo de Tropa, em Juiz de Fora (MG), e concluído na Escola de Sargentos de Logística (EsSLog), no Rio de Janeiro, a partir de 2017.

A Aeronáutica também foi a primeira das Forças a abrir espaço para a atuação das mulheres na atividade fim da instituição.

Em 2003, a Força Aérea recebeu as primeiras mulheres para o Curso de Formação de Oficiais Aviadores. O ingresso feminino na academia no Quadro de Oficiais Intendentes foi autorizado em 1995.

 

As mulheres podem ingressar nas 3 forças a partir dos seguintes meios:

 

Exército Brasileiro:

Nível Médio:

Escola de Sargentos das Armas (ESA)

Instituto Militar de Engenharia (IME)

Escola Preparatória de Cadetes do Exército (EsPCEx)

Nível Superior:

Escola de Formação Complementar do Exército (EsFCEx)

Escola de Saúde do Exército – EsSEx

Quadro de Capelães Militares – Como Pastora Evangélica

 

Marinha do Brasil:

Nível Médio:

Escola Naval – para o Corpo de Intendentes de Marinha (CIM)

Sargento Músico Fuzileiro Naval

Nível Médio/Técnico:

Corpo Auxiliar de Praças da Marinha (CAP)

Nível Superior:

Corpo de Saúde da Marinha (CSM): Médicos, Dentistas, Apoio a Saúde: Enfermagem, Farmácia, Fisioterapia, Fonoaudiologia, Nutrição e Psicologia.

Corpo de Engenheiros da Marinha (CEM)

Quadro Técnico (QT)

Quadro Complementar de Intendentes (QC-IM).

Quadro de Capelães Navais

 

Força Aérea Brasileira:

Nível fundamental:

Escola Preparatória de Cadetes-do-Ar – EPCAR: Aluno CPCAR

Nível Médio:

Academia da Força Aérea – AFA: Aviadores e Intendentes

Escola de Especialistas de Aeronáutica – EEAR: Curso de Formação de Sargentos e Estágio de Adaptação à Graduação de Sargento da Aeronáutica (EAGS)

Nível Superior:

Centro de Instrução e Adaptação da Aeronáutica (CIAAR): Médicos, Dentistas e Farmacêuticos. Estágio de Adaptação de Oficiais de Apoio de Aeronáutica – EAOAP; Estágio de Adaptação de Oficiais Engenheiros da Aeronáutica – EAOEAR

 

No começo elas eram exceção, mas hoje a presença de mulheres nas Forças Armadas já é uma realidade em quase todos os setores. E cada vez mais jovens se interessam pela carreira.

Se você sonha em ter uma carreira no EB, FAB ou MB:

VENHA SE PREPARAR COM O MATEMÁTICA PASSO A PASSO 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *