Curva do esquecimento: já ouviu falar?

Em 1885 o filósofo Hermann Ebbinghaus apresentou sua nova teoria sobre o aprendizado, a Curva do Esquecimento.

Nela ele apresentava a quantidade de informação que nosso cérebro conseguia reter ao longo de um mês após ter recebido uma série de informações.

Até hoje essa Curva é amplamente divulgada e as revisões propostas por ele são utilizadas como referência por estudantes e concurseiros.

Muitos estudantes confundem esse esquecimento com a qualidade da leitura que fizeram. Começam a pensar então que a leitura feita não foi eficiente e de qualidade. A verdade é que esse esquecimento é normal. Nosso cérebro analisa as informações que recebemos diariamente e se elas não são reutilizadas com frequência, ele “deleta” o que não é útil.

Como podemos ver no gráfico ao final da leitura nos lembramos de 100% do conteúdo lido. Nas primeiras 24h são as que mais perdemos as informações recebidas, caso não seja feita uma revisão, no dia seguinte você se lembrará de cerca de 50% do conteúdo.

Ao final do primeiro mês, restará apenas uma vaga lembrança e a impressão que ficará é a de que você nunca estudou aquele conteúdo, apenas 3% a 5% do que foi visto será retido.

 

E que fazer para contornar a Curva do Esquecimento?

O primeiro passo é evitar, como sempre falamos, o aprendizado passivo. Quando você apenas realiza a leitura de um conteúdo de forma passiva, é mais fácil perder aquelas informações. Por isso é tão importante fazer resumos, mapas mentais, explicar para si mesmo a matéria, entre outras técnicas que você aprendeu aqui:

Aprendizado ativo e passivo: entenda a diferença

Passado o momento inicial de aprendizado do conteúdo é importante que se faça revisões programadas. Seguindo os 3 passos a seguir:

 

1 – Revisão nas primeiras 24h

A primeira revisão deve ser no dia seguinte. E por que isso? Porque cerca de 50% das informações são perdidas nas primeiras 24h, como pudemos ver no gráfico. Fazendo a primeira revisão nesse período evitamos que isso aconteça.

O tempo recomendado de revisão para 1h de estudo, é de 10 minutos nessas primeiras 24h. É aí também que entra a importância de fazer resumos e mapas mentais, para que você tenha uma leitura rápida ao alcance das mãos para revisar o conteúdo visto.

 

2 – Revisão após uma semana

Essa revisão é para “lembrar ao cérebro” que aquele conteúdo é importante e não deve ser descartado.

A sugestão é que se dedique 5 minutos para a revisão do conteúdo estudado em uma hora inicialmente. Ou seja, mais uma vez é uma revisão bem rápida, que não vai tomar muito do seu tempo.

Também é importante que se tenha resumo ou mapa mental para essa rápida revisão.

 

3 – Revisão após 30 dias

Essa revisão tomará de 2 a 4 minutos, essa é a sugestão. Parece muito pouco, mas como o conteúdo já deve estar fixado, é realmente só para relembrar o que foi visto.

 

Existem muitas pessoas que acreditam que a revisão programada é perca de tempo. Mas já imaginou estudar todo o conteúdo e um mês depois não se lembrar de praticamente mais nada? É importante que o conteúdo seja efetivamente absorvido. Como sempre falamos por aqui, o preparo para um concurso não é um tiro de 100m, é uma maratona.

E com essa técnica as revisão são bem curtinhas, fáceis de fazer, então não irão tomar muito do seu tempo.

Vale a pena tentar por algumas semanas ou meses e ver se dá certo para você. Se você se adapta a essa técnica de estudos.

ESTUDE JÁ COM O MATEMÁTICA PASSO A PASSO

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *